Menu

Mulher que matou vizinho com facada no pescoço em Herval d’Oeste é condenada a pedido do Ministério Público

[rt_reading_time label="" postfix="minutos de leitura" postfix_singular="minuto de leitura"]
O crime aconteceu em novembro de 2008, após uma discussão por problemas na vizinhança. A ré esperou escondida a vítima sair para o trabalho, deu a facada e foi dormir.

O Tribunal do Júri da Comarca de Herval d’Oeste julgou uma mulher pela morte de um vizinho com uma facada no pescoço. O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) comprovou que houve homicídio duplamente qualificado, por meio cruel e emboscada, e o Juízo fixou a pena em 16 anos e quatro meses de reclusão em regime inicial fechado.

O crime aconteceu em 2008, no Beco da Esperança, em Herval d’Oeste. Segundo consta nos autos, em 26 de novembro daquele ano, a ré Suzana Carla Leite e a vítima Odair Luiz Dal Paiva discutiram por questões relacionadas a vizinhança, trocando ofensas verbais. Testemunhas relataram que Suzana ameaçou a vítima e seus familiares de morte em alto e bom som: “eu vou para a cadeia, mas mando um para o cemitério”.

Os ânimos se acalmaram, e ambos retornaram para suas casas. Mas na madrugada seguinte, Suzana esperou o vizinho sair para o trabalho em um esconderijo e o atacou de surpresa com uma facada no pescoço. O golpe atingiu a carótida e a jugular, provocando hemorragia externa e anemia aguda. Odair não teve tempo de esboçar qualquer reação.

A ré escondeu a faca embaixo do tapete que ficava na entrada da própria casa e foi dormir enquanto a vítima agonizava. Ela permaneceu inerte enquanto os vizinhos chegavam para tentar prestar socorro. Odair morreu no local.

Suzana foi julgada e condenada 14 anos após o crime. A Promotora de Justiça Raquel Marramon da Silveira atuou na sessão do Júri. “Essa mulher foi movida pelo espírito desprezível do ódio, tirando uma vida e abalando as estruturas de uma família devido a uma mera discussão ocorrida na vizinhança. A condenação é a única resposta possível para esse crime”.

Com informações MPSC

Mais lidas na semana