Topo Destaque
Topo Destaque
Topo Destaque
Topo Destaque

Esposa é acusada de mandar matar o marido durante um plano de pescaria

Esposa é acusada de mandar matar o marido durante um plano de pescaria

Uma mulher de 59 anos de idade foi presa na manhã deste sábado, dia 6, no município de Nova Erechim, acusada de encomendar a morte do próprio marido, um idoso de 64 anos. O homem foi assassinado no dia 1º de março. O corpo foi encontrado na madrugada seguinte, dentro de um rio em Nova Erechim.

A Polícia Civil cumpriu nesta manhã o mandado de prisão preventiva contra a suspeita. Segundo as investigações, ela arquitetou a morte junto com outro homem, com quem já teria se envolvido de forma extraconjugal há alguns anos. O próprio homem admitiu à polícia que contratou uma pessoa para ‘dar um susto’ no idoso.

O suspeito de praticar o homicídio, de 52 anos, também foi preso. Em depoimento, ele disse ter saído com a vítima para pescar. No entanto, durante a atividade, acabaram se desentendendo. Ele afirmou ter desferido duas pauladas na cabeça da vítima, que morreu no local. Após o crime, o autor fugiu.

Com o prosseguimento das investigações, a Polícia Civil apurou que o assassino recebeu R$ 2 mil para a execução do crime. Após novas diligências, as autoridades constataram que a viúva da vítima agiu junto com o homem que encomendou o homicídio. Segundo a polícia, os dois vinham desde o ano passado buscando alternativas para se livrar da vítima.

“No início deste ano, começaram a planejar concretamente a morte dele. Para isso contrataram um conhecido deles para fazer o serviço. Ficou comprovado que a viúva teve participação ativa da morte, arquitetando tudo junto com os outros dois, inclusive se comprometendo a auxiliar no pagamento da execução”, disse a Polícia Civil em uma nota.

A mulher foi encaminhada para a Unidade Prisional Avançada de Maravilha. Os outros dois já tinham sido presos pela Polícia Civil de Nova Erechim e seguem no presídio de Maravilha. Eles foram indiciados por homicídio qualificado.

Créditos: Oeste Mais/Policia Civil

Escreva seu comentário

Related posts